Sinfazfisco – MG
Arquivo

Uma reunião que deixou integrantes do Cones preocupados!

 
Em mais uma reunião do Cones – Comitê de Negociação Sindical, a segunda em menos de 15 dias, estiveram presente no quarto andar do ed. Geraisn na Cidade Administrativa, representante de sindicatos e associações.
A reunião foi comandada pela Subsecretária de Gestão e Planejamento Fernanda Neves e pela presidente do Ipsemg Jumara Alves.
Jumara começou falando que o assunto “coparticipação no Ipsemg” (pagamento a mais pela consulta) só será discutido no ano que vem e implementado com alterações em 2014 pois o governo não quer cobrar nada que não seja necessário do beneficiário.
Cada representante à mesa teve sua vez de falar. Eles cobraram aumento da lista de cidades conveniadas como por exemplo Extrema no sul do Estado e Capinópolis no Triângulo e concurso público para o Ipsemg. Foram unânimes em afirmar que o atendimento melhorou. Quanto ao concurso, Jumara e Fernanda afirmaram que o projeto já está na Câmara e que aguarda o prazo limite para o trâmite da licitação. Quanto às cidades, elas garantiram que as duas estarão na lista ainda este ano.
Para reforçar e conter os ânimos de alguns que não se mostraram satisfeitos com o andamento da reunião, Fernanda ressaltou que ela foi marcada não para deliberar, e sim discutir. O assunto em pauta, IPSEMG, que seguiu até o fim da manhã. Fernanda e Jumara colocaram na mesa a situação específica do contrato com a MGS, empresa 100% pública e prestadora de serviços que se encerra este mês. O que deixou o representante do SINFFAZ, o diretor da regional Ipatinga,  Anides Coutinho e todos que estavam presentes na reunião surpresos. Para Jumara, o contrato é estratégico e vantajoso para o governo e que deveria ser renovado. Seriam mais vinte milhões de reais pois os mais novos estariam “pagando” para os mais velhos. Para Jumara, se não houver acordo com o Ipsemg, a MGS, forte potencial de arrecadação,  pode migrar para a Unimed BH, o maior plano de saúde em Minas e isso seria um prejuízo enorme para os cofres do governo afetando até o atendimento dos beneficiários. 
 
Para quem esteve na reunião, ficou claro que o Ipsemg está se transformando num negócio, o que desvirtua sua função pois é uma previdência específica do trabalhador público e não uma “empresa” interessada em mercado e novos clientes. Esta visão prejudicaria a maioria dos beneficiados.Fernanda pediu o encerramento da reunião alegando outra logo em seguida e afirmou que vai passar o resultado da mesma para o Governador. Antonio Anastasia, segundo ela, pediu que fosse do jeito que foi conduzida,  para que ele pudesse analisar o resultado e tomada novas atitudes em relação ao futuro do instituto.Os integrantes do Cones ficaram de analisar o que foi repassado pelo governo e dar uma resposta à Subsecretária numa nova reunião ainda a ser marcada.
Confira AQUI as fotos da reunião
 
 
 
 

Notícias Relacionadas

Quase 100% da meta, mas 4 áreas de trabalho ficaram no “vermelho”..

integrate

Comissão da PEC sobre ação de inconstitucionalidade elege presidente

integrate

ANTÔNIO CLÁUDIUS DA AF MONTES CLAROS COMENTA O ENCONTRO.

integrate