Sinfazfisco – MG
Arquivo

Sinffaz reúne-se com o Governo

 

Prezados Gestores,

 
Estivemos reunião com o Staff da Fazenda onde estiveram presentes pela SEF: Colombini, Meneguetti e José Luiz Ricardo; pela Almg: Neider e Dalmo; pelo Sinffaz: Paulo, Brígida, Marcus Bolpato, Gláucia e o Baracho (assessor jurídico constitucionalista) pela Asseminas Raimundo.
 
Fomos recepcionados pelos Gestores da CAM, estavam presentes a grande maioria dos colegas, com e sem cargo em comissão. Foi emocionante. Em seu silêncio, mas com a presença demonstravam seu descontentamento com a atual política da SEF. O Secretário, visivelmente nervoso, transferiu a reunião para a sua sala, para não passar no meio da multidão de Gestores que se fizeram presente.
 
A reunião foi aberta às 16:00 horas pelo Deputado Neider que disse da importância do Projeto, que foi implantado em diversos Estados com grandes benefícios e exemplificou utilizando o caso da Bahia. Falou da legalidade que ADI vem sucumbindo e que deveremos implementá-lo em MG. O Deputado Dalmo complementou falando do comprometimento do Governador com a categoria em 2010. Colombini disse que não estão discutindo o projeto em virtude da recomendação do MP, que enviou cópia inclusive ao Governador.
 
Paulo disse que não reconhece tal recomendação, que o Barbabela deveria se julgar incompetente para tal, sua suspeição como acontece no meio jurídico, já que foi recentemente Fiscal, foi um dos mentores e fundadores do Sindifisco e é amigo pessoal do Lindolfo.
 
Baracho tomou a palavra dizendo do vício de iniciativa, que quem deveria solicitar e dirigir tal inquérito é o Procurador Geral do Estado. Tal assertiva causou tremendo desconforto, quando o José Luiz mostrou uma recomendação do Procurador com data posterior. Isto ficou claro que se tratava de uma tentativa orquestrada de inviabilizar o projeto, notada e comentada comigo pelo Dalmo e que não retiraria o erro de formalidade de tal inquérito. Com isto pôs toda a argumentação da SEF por “água abaixo”.
 
Meneguetti propôs a regulamentação da Lei de carreira, 15.464, em substituição ao nosso projeto e que tal regulamentação se daria em 60 dias e considerando as férias de julho foi fixado final de setembro. Neider voltou a dizer da importância do Projeto e que mais tarde, mesmo com a regulamentação, fatalmente deveria voltar a ser discutido. Colombini disse que poderia discutir após a reforma tributária.
 
Paulo disse que levaria tal proposta para a categoria, que não poderia definir pessoalmente. Foi encerrada a reunião de quase duas horas.
 
A diretoria do Sinffaz se dirigiu ao sindicato para discutir o acontecido. Chegaram à conclusão que deveriam apresentar aos colegas Gestores a seguinte proposta:
 
1. Aceitar a regulamentação da 15.464 e desmobilizar, desistir do Projeto (Proposta da SEF)
2.  Continuar mobilizados e trabalhando e pressionando o governo pela discussão e implementação do Projeto e entender que a regulamentação da Lei é dever da SEF (Proposta da Diretoria)
 
A Diretoria entende que a regulamentação, além de estar atrasada muitos anos, é obrigação, função do Governo, no caso da nossa lei de carreira, da SEF fazê-la. A regulamentação não supre o nosso projeto, pois não trará novidades em relação a lei 15.464, o que não poderia, seria ilegal.
 
Entende-se que a SEF deveria regulamentá-la sim, mas que devemos continuar com a nossa luta, pois será ela que nos garantirá a permanência na carreira de Administração Tributária, para qual somos concursados, nos trará maiores e melhores atribuições e melhores salários que poderemos levar para a aposentadoria.
 
Definiu-se também que cada Diretor Regional deverá fazer consulta aos Gestores de sua região da seguinte maneira:
 
-> Reunir com os mesmos, urgentemente, repassando o acontecido e deliberando se a categoria deverá:
 
1.  Aceitar a regulamentação da 15.464 e desmobilizar, desistir do Projeto (Proposta da SEF)
2.   Continuar mobilizados e trabalhando e pressionando o governo pela discussão e implementação do Projeto e entender que a regulamentação da Lei é dever da SEF (Proposta da Diretoria)
 
-> Deverá ter lista de presença e um pequeno relatório se a opção vencedora foi a 1ª ou a 2ª, se por maioria ou unaminidade;
 
-> Com colegas de outras AFs ou Unidades, onde há relevância em números, indicar um colega de confiança para proceder da mesma forma e urgente;
 
 
-> Enviar o resultado para o Sinffaz por sedex, até o dia 13 de julho de 2011.
Após este ato e consolidação dos resultados a Diretoria irá oficiar à SEF sobre a vontade da categoria.
 
 
Brevemente o Sinffaz publicará mais detalhes do que foi conversado na reunião. 
 
 
 
Atenciosamente,
 
 
Paulo César Marques da Silva
Presidente
 
 
 
Matéria restrita!
É proibida sua impressão, envio por e-mail ou qualquer outro tipo de divulgação.
 

Notícias Relacionadas

Presidente do SINFFAZ fala da importância do Congresso

integrate

Pacote tributário está na pauta do Plenário

integrate

Sinffaz participa da discussão

integrate