Sinfazfisco – MG
Arquivo

Anastasia garante continuidade de gestão durante posse na ALMG

Continuar o trabalho de modernização e inovação desenvolvidos nos sete anos de governo Aécio Neves e manter as portas dos Palácios da Liberdade e Tiradentes abertas para os mineiros foram alguns dos compromissos assumidos pelo governador Antonio Augusto Junho Anastasia em seu discurso de posse, na manhã desta quarta-feira (31/3/10). A solenidade foi realizada na Assembleia Legislativa de Minas Gerais e contou com a presença de cerca de 1,2 mil convidados, entre eles senadores, ex-governadores, deputados estaduais e federais, prefeitos, vereadores, magistrados, empresários e familiares do novo governador. Os trabalhos foram presididos pelo presidente da ALMG, deputado Alberto Pinto Coelho (PP).
 
Anastasia destacou que seu governo dará continuidade ao trabalho desenvolvido por Aécio Neves, mantendo como inspiração valores como a liberdade, a transparência e a Justiça. Para isso, o governador disse contar com a parceria do Legislativo. “Conto com a Assembleia para cumprir deveres e avançar ainda mais”, afirmou. Ele acrescentou que o apoio da ALMG foi essencial para a “densa e extensa” reforma do Estado, iniciada em 2003, primeiro ano de mandato de Aécio Neves. Segundo o governador, nesse período, Minas encontrava-se em uma situação delicada, com várias prescrições impostas e, além disso, o cenário nacional era preocupante. “Instalamos então um regime de absoluta austeridade”, afirmou.
 
Os resultados, segundo Anastasia, começaram a ser alcançados com a recuperação da arrecadação e da capacidade de investimento do Estado, sendo que, em 2004, foi alcançado o déficit zero. “O saneamento das contas públicas era apenas o ponto de partida para as mudanças necessárias. Era preciso inovar, construir um novo modelo de Estado que fosse movido por metas e resultados e não apenas pelas obrigações e deveres do poder público”, considerou. O governador afirmou ainda que as reformas feitas em Minas Gerais são hoje modelo para a administração pública de outros Estados.
 
História – No seu discurso, Anastasia lembrou um pouco da história de Minas Gerais. Segundo ele, a liberdade é o alicerce do Estado e dela são forjados todos os valores dos mineiros. Ele também citou os nomes de alguns dos governadores que o antecederam – entre eles, Rondon Pacheco, Francelino Pereira, Newton Cardoso, Eduardo Azeredo e Itamar Franco, todos presentes – – e alguns dos legados deixados por eles, como o equilíbrio orçamentário, a habilidade na prática política, a modernidade e a preocupação com o agronegócio e com a expansão das indústrias. Para Anastasia, Minas Gerais é a “síntese da nacionalidade” e no Estado “estão espalhados os desafios e as vocações de todo o País”.
 
Anastasia encerrou seu discurso dizendo que gostaria de ser, no futuro, reconhecido como um governante que cumpriu sua missão e deixou como marca de seu trabalhado o exemplo de honradez e dedicação à causa pública. Ao final, reafirmou ainda todos os compromissos assumtidos “nas ruas e praças públicas”, acrescentando que há muito trabalho pela frente. “Os compromissos de Aécio são os meus compromissos”, encerrou.
 
Presidente da ALMG destaca legado deixado por Aécio Neves
 
Em seu discurso, o presidente Alberto Pinto Coelho lembrou as obras deixadas nos sete anos de governo por Aécio Neves que, segundo ele, fizeram Minas entrar “com o pé direito no século XXI”. Ele citou como exemplos de obras de destaque a Cidade Administrativa, o Circuito Cultural da Praça da Liberdade e a expansão da cobertura asfáltica e de telefonia celular em Minas Gerais, todas ações do governo que tiveram, na opinião do presidente, a participação decisiva do novo governador.
 
“Garantia da continuidade e do aprimoramento das ações do governo que finda, instala-se o novo governo, que, sob a liderança do professor Antonio Augusto Anastasia, tem antecipadamente afiançadas as marcas da responsabilidade, da gestão eficiente, da ética e da probidade, que deverão manter Minas na vanguarda da política nacional”, destacou o parlamentar. Alberto Pinto Coelho afirmou que a capacidade técnica e política de Anastasia são as credenciais que o qualificam para a continuidade do processo de modernização do Estado.
 
O presidente ainda lembrou a trajetória do novo governador antes de sua passagem pelo governo estadual. Entre outras funções exercidas, Anastasia foi assessor da relatoria da Constituição do Estado de 1989, ainda aos 27 anos de idade. “Desde então, esta Casa vem sendo, orgulhosamente, parceira importante do Executivo na construção de um Estado mais eficiente e democrático”, concluiu.
 
A cerimônia – A cerimônia de posse teve início com a chegada de Anastasia à Assembleia pela entrada da Praça Carlos Chagas. Ele passou em revista a Tropa da Polícia Militar de Minas Gerais, ao som da Banda do Corpo de Bombeiros Militar, e foi recebido, ao pé da escadaria do Palácio da Inconfidência, por uma comissão de deputados. Fizeram parte da comissão os deputados da Mesa – à exceção do presidente, deputado Alberto Pinto Coelho, e do 1º-secretário, deputado Dinis Pinheiro (PSDB), que ficaram no Plenário aguardando o governador – e líderes das bancadas partidárias.
 
Anastasia seguiu pelo Espaço Democrático José Aparecido de Oliveira, onde estavam prefeitos, vice-prefeitos e presidentes de câmaras municipais, passou pelo Salão Nobre e foi conduzido ao Plenário. A comissão de deputados o acompanhou por o todo percurso. No Plenário, o governador foi recebido por cadetes da Polícia Militar portando o “Espadim Tiradentes”, arma que simboliza a honra e a dignidade do cadete da PM.
 
O Hino Nacional foi interpretado pela cantora lírica Maria Lúcia Godoy, acompanhada do pianista e maestro Túlio Mourão. Obedecendo a preceito constitucional, o governador Antonio Augusto Junho Anastasia fez a entrega da declaração de bens. Em seguida, foi firmado o compromisso constitucional, com a leitura do termo de posse pelo 1º-secretário, e a assinatura do novo governador.
 
No final da solenidade, Maria Lúcia Godoy cantou Oh! Minas Gerais, para saudar o novo governador do Estado. Em seguida, Anastasia deixou o Plenário Juscelino Kubitschek, passando sob uma cúpula de oficiais formada por cadetes do Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais. Após a posse no Parlamento mineiro, Anastasia seguiu para o Palácio da Liberdade, onde será realizada a solenidade de transmissão do cargo.
 
Presenças – Também fizeram parte da mesa o 1º-secretário, deputado Dinis Pinheiro (PSDB); o presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Sérgio Resende; os senadores Eduardo Azeredo, Elizeu Resende, Francisco Dornelles e Sérgio Guerra; o representante da Câmara dos Deputados, deputado Rafael Guerra; o ex-presidente e ex-governador Itamar Franco; o prefeito de Belo Horizonte, Márcio Lacerda; a presidente da Câmara Municipal de Belo Horizonte, vereadora Luzia Ferreira; o procurador-geral de Justiça, Alceu José Torres Marques; o secretário de Estado de Governo, Danilo de Castro; os ex-governadores Francelino Pereira, Newton Cardoso e Rondon Pacheco; o presidente da Associação Mineira dos Municípios, prefeito José Milton; o presidente da Associação dos Municípios da Região Metropolitana de Belo Horizonte, prefeito Rogério Avelar; e o presidente do Tribunal de Contas do Estado, conselheiro Wanderley Avila.
 
Fonte: Assessoria de Comunicação da Assembleia Legislativa de Minas Gerais – http://www.almg.gov.br/not/bancodenoticias/Not_787166.asp

Notícias Relacionadas

Parque Fernão Dias: revitalização depende de gestão conjunta

integrate

SINFFAZ não reconhece fala publicada no Jornal O TEMPO

integrate

Gestores Fiscais realizam manifestação na Cidade Administrativa

integrate