Sinfazfisco – MG
Destaque Notícias do Jurídico

Sinfazfisco-MG entra com Ação Civil Pública para garantir recursos para o combate à Covid-19

O Sinfazfisco-MG, por meio do seu Departamento Jurídico, coordenado pela Dra. Sarah Campos, apresentou uma Ação Civil Pública com pedido de tutela de urgência contra a União, solicitando que seja determinada a imediata suspensão dos pagamentos dos juros e encargos da dívida pública e o redirecionamento desses recursos exclusivamente para adoção de políticas públicas relacionadas ao controle da pandemia provocada pela COVID-19, enquanto durar o estado de calamidade pública no Brasil.

Uma das justificativas para a solicitação é a rápida expansão da doença, que vem colocando o sistema de saúde sob tensão, com grande dificuldade de compra de insumos e equipamentos de hospitais para atender as demandas por CTI’s. Além disso, medidas econômicas são necessárias para proteger os empregos e a renda dos brasileiros.

A ação civil pública proposta pelo Sinfazfisco-MG, enquanto representante de servidores que integram a Administração Tributária, categoria que conhece profundamente o orçamento brasileiro, revela que a previsão orçamentária para 2020 destinada ao pagamento de juros e encargos da dívida pública é muito superior do que os esforços financeiros realizados pela União para a superação da pandemia.

Em fevereiro de 2020, a dotação orçamentária da União para o pagamento de juros e encargos da dívida foi de R$ 410 bilhões. Em contrapartida, de acordo com o próprio Governo Federal, foram previstos até agora R$ 256,5 bilhões para o combate à COVID-19, sendo que apenas R$ 56,51 bilhões foram efetivamente pagos.

O Sinfazfisco-MG não quer com esta ação sugerir o não pagamento da dívida pública, pelo contrário, propõe apenas a suspensão do pagamento dos juros e encargos da dívida (custos de rolagem da dívida) durante a calamidade pública e ressalta que este dinheiro é um recurso gerado com pagamento de tributos pela própria população brasileira.

Países como Estados Unidos e Argentina já tomaram medidas semelhantes à proposta do Sinfazfisco-MG, limitando juros e/ou adiando pagamento da dívida pública, para dar enfoque na saúde e na sobrevivência financeira de seus habitantes. É importante frisar que a manutenção do pagamento dos juros e encargos da dívida pública brasileira durante a pandemia interessa apenas aos detentores de grandes fortunas e ao mercado financeiro. Não é justo que apenas o capital produtivo, especialmente as empresas de médio e pequeno porte, que movimentam o comércio e a indústria gerando empregos, e os trabalhadores, suportem os encargos dessa dura crise. 

Até que se supere os graves efeitos na saúde pública e economia provocados pela pandemia da COVID-19, o Sinfazfisco-MG entende que devem ser priorizadas as ações em prol da coletividade e aguarda por uma decisão neste sentido na ação proposta.

A ação tramita na 6ª Vara Federal Cível da Seção Judiciária de Minas Gerais.

Clique aqui para ler a Ação Civil Pública na íntegra.

Notícias Relacionadas

Orientações para a participação na 83ª AGE

Tiago Viana

SINFAZFISCO-MG participa de ato contra a Reforma da Previdência

integrate

Judiciário nega liminar para pagamento do 13º do Fisco

Nínive Ramos

Leave a Comment