Sinfazfisco – MG
Arquivo

Servidor poderá optar por período de férias-prêmio


Governo reconhece direito do servidor de optar quanto ao período de férias-prêmio a ser gozado.

Publicado no dia 24/10, pela SEPLAG, Instrução de Serviço nº 01/06, determinando que as férias-prêmio adquiridas até a data da promulgação da Emenda Constitucional Federal nº 20 (15 de dezembro de 1998), não gozadas e não convertidas em espécie, poderão ser contadas em dobro para fins de aposentadoria. Desta forma o governo atende os servidores do Estado que, através de seus representantes legais, há muito vinham reivindicando junto à SEPLAG a mudança no procedimento de concessão das férias-prêmio.

Até a data da publicação da Instrução de Serviço o procedimento era seguir a ordem cronológica das férias adquiridas. Tal procedimento causava grande transtorno, uma vez que, ao usufruir férias-prêmio o servidor “usava” justamente as primeiras, aquelas que poderiam ser contadas para fins de aposentadoria ou convertidas em espécie.

De acordo com a Instrução de Serviço, o servidor indicará no requerimento do pedido de afastamento para gozo de férias-prêmio, a qual período aquisitivo pertence o tempo que será usufruído.

CONFIRA LOGO ABAIXO A INSTRUÇÃO:

INSTRUÇÃO DE Serviço SCGRH / DCCTA nº01/06
ASSUNTO: Férias-prêmio/Gozo/Contagem em dobro para aposentadoria e/ou adicionais.
O Superintendente Central de Gestão e Recursos Humanos, tendo em vista
as razões jurídicas contidas no Parecer SEPLAG/AJA nº0331/06 e manifestação do Egrégio Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais, emitida por meio de consulta nº681054, determina:

1. Para fins de aposentadoria somente podem ser computadas em dobro as férias-prêmio não gozadas e não convertidas em pecúnia, adquiridas até 15 de dezembro de 1998, data da promulgação da Emenda Constitucional Federal nº20. (Artigo 114, inciso I do ADCT da CE/89)

2. Para fins de adicionais por tempo de serviço podem ser computadas as férias-prêmio não gozadas e não convertidas em pecúnia, adquiridas até a véspera da vigência da aposentadoria. (Artigo 114, inciso II do ADCT da CE/89).

3. A vigência da aposentadoria obedecerá ao disposto no artigo 17 do Decreto nº42.758/02, que regulamentou a Lei Complementar nº64/02.

4. O momento para o cômputo desse tempo ficto, tanto para aposentadoria e/ou adicionais, é o da inativação, nunca antes.

5. O requerimento de contagem das férias-prêmio para fins de aposentadoria e/ou adicionais por tempo de serviço deverá ocorrer, necessariamente, no momento do requerimento de aposentadoria.

6. A fim de assegurar o direito de resguardar as férias-prêmio já adquiridas para fins de aposentadoria e/ou adicionais, o servidor indicará no requerimento do pedido de afastamento para gozo de férias-prêmio, a qual período aquisitivo pertence o tempo que será usufruído.

7. Aplica-se o disposto no item anterior aos servidores em atividade que tiveram afastamento para gozo de férias-prêmio até a publicação desta Instrução.

8. Esta Instrução substitui e retifica a Instrução SCAPP nº01/03.

Superintendência Central de Gestão de recursos Humanos, em 23 de outubro de 2006.

Antonio Luiz Musa de Noronha
Superintendente


Notícias Relacionadas

Assédio Moral no Serviço Público

integrate

Supersimples tem nova data

integrate

STJ – Greve de Servidor Público

integrate