Sinfazfisco – MG
Arquivo

Propostas Apresentadas

O Sinffaz traz abaixo as propostas apresentadas na reunião realizada no dia 23/06/2009 junto ao Staff da SEF seguidas dos comentários a respeito de cada uma.
 
1.     Salário atual pretendido: R$ 8.924,00 .

O Secretário Adjunto Leonardo Colombini disse que não irá discutir salário ou qualquer forma de reposição que impacte na folha em 2009 ou enquanto persistir o quadro atual. O Secretário pediu ao Sinffaz que apresente um projeto de recomposição salarial para apreciação e futuras negociações para implementação.
 
2.     Tabela de vencimentos com apenas dois níveis.

Paulo Márcio Bruno disse que a Tabela em dois níveis não corresponde a uma carreira de 35 anos, que sendo assim futuramente a SEF teria que criar um terceiro nível para que os servidores não fiquem parados muitos anos no último nível.
 

O Sinffaz disse que seja como for, em dois ou três níveis, quer o mesmo desenho para o quadro de TFA, e que não justifica a diferenciação. Este assunto deverá avançar em outras reuniões, por não ter ficado definido e também por envolver a carreira de AFRE.
 
3.     Unificação das tabelas Cota-Gepi/Conta Reserva para os GEFAZ, excluindo a primeira.

Este assunto não foi discutido por impactar na folha em 2009. Deverá fazer parte de projeto de recomposição salarial a ser elaborado, que o Sinffaz deverá apresentar.
 
4.     Aceitação do curso de pós graduação na área de formação do servidor para promoção escolaridade.

Paulo Márcio Bruno disse que o critério de aceitação foi definido levando em consideração as áreas de interesse da SEF. Que quando o curso apresentado está fora dos publicados, é analisado em separado, considerando como e onde está sendo aplicado, se é de interesse para o desempenho das atividades da SEF.
 

Considerando tal posicionamento, o Sinffaz entende que para os casos já indeferidos o caminho a ser buscado deverá ser o jurídico.
 
5.     Atribuições:
– Lançamentos:
      – ITCD
      – Simples Nacional
      – Trânsito 
      – Omisso
– Realização de Volantes e controle efetivo do trânsito de mercadorias.
– Controle fiscal de obrigações principais e acessórias.
– Auxiliar nos trabalhos fiscais de empresas D/C.
– Monitoramento de empresas.
 
a. José Luiz Ricardo, chefe de gabinete, argumentou que o Gestor não pode desenvolver tais tarefas por falta de amparo legal. 
 
b. O Sinffaz disse que: lei se altera, basta haver vontade política e focar nos interesses do Estado os quais se sobrepõe a interesses classistas.
 
c. Ressalte-se que o Sinffaz está preparando projeto que altera o anexo da lei 15.464 para apresentar à SEF em próxima reunião a ser marcada.
 
d. O Secretário Adjunto declarou que há um estudo com a finalidade de rever as necessidades do Estado em relação aos atuais serviços prestados pela Fazenda e que a intenção é de redefinir as carreiras em virtude desses serviços.
 
e. Considerando as proposições do Sinffaz o Secretário determinou ao Diretor da SRH – Paulo Márcio Bruno – que agilize tais estudos e que tão logo estejam esboçados os Sindicatos deverão ser convocados a participarem do processo de redefinição através de comissões paritárias. Perguntado pelo Sinffaz quando isto se daria, o mesmo respondeu que “ainda em 2009”.
 
A convite, o Sinffaz, nas pessoas de Paulo César Marques da Silva – Presidente e Gláucia Eliana Rodrigues – Representante Regional de Montes Claros reuniu-se em separado com Pedro Meneguetti e Jorge Schimidt, no dia 23, de nove às dez horas, no gabinete da SRE, quando o Subsecretario falou da já conhecida situação do Estado e de sua preocupação com a redução salarial em 2.010 em virtude da queda na receita.
 
Reafirmou a sua disposição em negociar em nome dos servidores por um colchão que evite a queda salarial em 2.010, aumento na gepi/cota e prêmio de produtividade, mas que para isto as classes teriam que concordar com o disposto nas Medidas Emergenciais.
 
Clique aqui para conhecer: Apresentação do Subsecretário
      Ofício 571/2009
 
O aumento na quota seria a mesma dada para a fiscalização, em termos percentuais. Que todas as classes receberiam os mesmos benefícios, ou seja, o que fosse dado para uma classe seria dado às demais.
 
Como não havia ficado determinado uma data para o posicionamento a respeito do conteúdo das Medidas Emergenciais, o Presidente do Sinffaz entrou em contato com  Pedro Menteguetti para definir tal data, quando este disse que o Sindifisco tem até o final de julho para se posicionar e que após manifestarem irá chamar o Sinffaz e o Sindipúblico para saber de sua posição. Disse ainda, que a proposta de Lei somente será enviada para a Assembléia se todos concordarem.
 
O Sinffaz já havia se manifestado, em outra ocasião, que este tipo de aumento não interessa, pois um aumento em percentual agravaria ainda mais o fosso salarial, que precisaria ser, no mínimo, o mesmo aumento pecuniário. O Subsecretário não se comprometeu com o pedido apresentado, nem mesmo em avaliá-lo se limitando a dizer que quer receber a posição oficial da Classe sobre o disposto nas Medidas Emergenciais.
 
Assim sendo, a Classe deverá se posicionar sobre as Medidas Emergenciais, aceitando-as ou rejeitando-as, total ou parcialmente.
Para que tudo ocorra com o máximo de representatividade e agilidade, o Sinffaz irá convocar o Conselho Deliberativo Ampliado – CDA. Neste momento os Representantes Regionais deverão apresentar a decisão deliberada em sua região.
 
Nesta oportunidade, caso a maioria não aceite as Medidas Emergenciais propostas, deverão então definir as ações que o Sinffaz coordenará, objetivando pressionar o Governo no atendimento às reivindicações.
 
O Sinffaz lembra aos Gestores que na Assembléia Geral Extraordinária realizada no dia 30/03/2009 ficou deliberado que cabe ao Sindicato coordenar as ações de mobilização propostas pela Classe.
 
O Sindicato ALERTA que ao definir por uma ação deve levar-se em conta a possibilidade do engajamento/participação de todos.
 
 
Paulo César Marques da Silva
Presidente do Sinffaz
 
 

Notícias Relacionadas

Secretário da Fazenda recebe Diretoria do Sinffaz

integrate

Dirigentes da Febrafisco se reúnem com presidente da CSPB

integrate

Tranquilidade nas 13 seções eleitorais

integrate