Sinfazfisco – MG
Arquivo

O que você pode?

Gestores Fazendários,
Você se sente forte e respeitado para desempenhar as atividades na SEF/MG, como servidor público da carreira da Administração Tributária que é, concursado para as atividades de Tributação, Fiscalização e Arrecadação, essenciais ao funcionamento do Estado, desenvolvendo atividade típica de Estado, submetido à dedicação exclusiva e com exigência de nível superior de escolaridade?
Quando você depara com algum indício de sonegação ou até mesmo um crime contra a ordem tributária, como servidor do fisco, pode tomar alguma atitude em prol da sociedade em que vive?
Você pode atender prontamente ao cidadão que apresenta denúncia de concorrência desleal em sua cidade, combatendo efetivamente o problema?
Você pode contribuir para que o VAF espelhe a realidade econômica dos municípios combatendo e inibindo a concorrência desleal, o que resultaria em melhores condições de vida para a sociedade?
Não, não, não e não???
Mas, tirar cópia pode? Apurar GEPI de Auditor pode? Autorizar saída de veículo, abastecer e dirigir para Auditor pode? Fazer compras em supermercado pode? Preencher impressos, relatórios para Auditor pode? Dar manutenção no PROGEPI pode? Servir de recepcionista e telefonista pode? Dessa maneira, fica esclarecida a importância do Gestor Fazendário, ao exercer outras atribuições de imperiosa relevância para a sociedade e que justifica, plenamente, a categoria não estar desenvolvendo as tais atividades essenciais ao funcionamento do Estado previstas em Lei.
Mas tudo isso é irrelevante. Segundo a alta Administração da SEFMG temos ótimo salário, igual ou superior ao mercado de trabalho, considerando aqui os nossos valorosos concorrentes, quais sejam, “boy”, digitador, motorista, telefonista, dentre outros. Sem considerar a vantagem de se ter baixíssimos níveis de exigência e grau de complexidade na execução dessas tarefas. Olha que maravilha!
Além de tudo isso, como se não bastasse, ainda temos a chance de algum colega ocupante de cargo em comissão aposentar-se ou morrer ao longo da vida funcional e sobrar, quem sabe, uma vaguinha. Tomara a Deus que eles não cresçam o olho para os cargos menorzinhos para não atrapalhar. Melhor que isso não há!
O que acabamos de narrar seria cômico se não fosse trágico. Veja abaixo o relato de um determinado chefe de AF:

“….nós deveríamos estar atrás dos sonegadores, mas quando os encontramos precisamos correr deles para não passar constrangimento” – Autor: um certo chefe de AF.

Se cada um de nós ficarmos sentado esperando o outro do lado fazer algo será o fim de todos.
Quinze de junho é o dia que tudo poderá mudar, só depende de você!!!
A Diretoria

 
Matéria restrita!
É proibida sua impressão, envio por e-mail ou qualquer outro tipo de divulgação.
 

Notícias Relacionadas

Audiência Pública – ADIADA

integrate

Governador envia Projeto de Lei estabelecendo política remuneratória dos servidores

integrate

Eleições 2011

integrate