Sinfazfisco – MG
Arquivo

Entrevista do Governador Antonio Anastasia

Crédito Foto:
Coligação “Somos Minas Gerais”
Fotógrafo:  VICTOR SCHWANER / NITRO

Entrevista do Governador Antonio Anastasia, candidato à reeleição
Evento: encontro com diretoria da Asseminas – Associação de Gestores Fazendários
Data: 06/07/10
Local: Sede da Asseminas – BH
 
Assuntos: encontro Asseminas, debate político, eleições, IEF
 
Sobre o encontro com gestores fazendários
É um tema muito importante, que trata de melhorar a receita do Estado. Trata-se de uma categoria dos gestores fazendários, uma categoria que está em toda Minas Gerais, e que tem legítimas pretensões de colaborar mais com a arrecadação do Estado. Conversamos aqui de maneira muito leal, muito franca, do que é possível, do que é viável, e tenho certeza de que a categoria, no nosso próximo Governo, terá uma participação ainda mais importante dentro da estrutura do Estado.
 
De que forma governador?
Através de participação efetiva na melhoria da arrecadação. Porque sabemos, sem falar em questões de aumentar tributos, ao contrário, a nossa pretensão vai ser criar incentivos para termos mais empresas, mas temos de melhorar a arrecadação através da chamada otimização da receita. O que significa isso?  Significa utilizar recursos humanos de alta qualificação que nós tempos em Minas, e essa categoria é prova disso, para evitarmos a sonegação fiscal. O sonegador é muito grave porque ele acaba atrapalhando o bom empresário, porque é uma concorrência desleal. Então não podemos concordar. E os gestores estão com boas ideias neste caminho.
 
Governador, sobre política. Gostou do primeiro debate entre os presidenciáveis?
Eu não assisti ao debate inteiro, porque o horário não ajuda muito. Eu assisti à primeira hora e quinze, achei o candidato José Serra muito mais seguro e muito mais preparado que os demais, achei que ainda foi um debate em que havia um certo nervosismo, o que é natural para o primeiro, e acho muito positivo o debate porque ele esclarece e permite as pessoas de maneira muito direta ver quais são as idéias dos candidatos.
 
E o senhor acha que ele saiu bem? Houve uma polarização entre ele e a candidata Dilma Rousseff. O senhor acha que ele se saiu melhor do que os outros candidatos?
Na minha visão ele saiu-se muito melhor, até pelo conhecimento que tem e pela bagagem administrativa que teve ao longo de sua vida. O formato do debate de fato levou a uma certa polarização, que é a polarização que está acontecendo sob o ponto de vista da eleições, mais isso foi parte das regras do jogo e aceito por todos. Acredito que esse debate vai dar um bom impulso à candidatura do José Serra.
 
Na semana que vem, o candidato Hélio Costa vai trazer a Minas Gerais o presidente Lula e a ministra Dilma Rousseff para fazer campanha com ele aqui no Estado, ao lado dele. Como o senhor pode fazer para fazer frente a essa popularidade do presidente Lula e à candidata Dilma Rousseff que está liderando as pesquisas?  
Estou permanentemente ao lado do nosso grande líder, o ex-governador Aécio Neves, do nosso grande ex-presidente da República tão reconhecido Itamar Franco, com uma estrutura política muito forte, então estou muito tranquilo que os nossos apoiadores são extremamente robustos, nós estamos numa trajetória ascendente e vamos continuar trabalhando de maneira serena para ganharmos as eleições e continuarmos em Minas Gerais com este governo tão bem avaliado e aplaudido pelos mineiros.
 
A gestão do Estado, governador, mudou nos últimos oito anos?
Mudou muito. Minas Gerais hoje é um modelo de referência internacional na gestão pública, reconhecida inclusive pelo Banco Mundial. Fico muito feliz em testemunhar isso e ter participado disso ao longo desses últimos anos. Nosso Estado tornou-se referência para outros Estados e prefeituras. E essa questão da gestão é muito importante porque ela é a base das políticas públicas. Só há uma boa educação, uma boa saúde, uma boa segurança, e inclusão social se nós tivermos uma gestão pública responsável, porque aí vamos estar colocando e gastando bem o dinheiro das pessoas e do povo.
 
Governador, na semana que vem tem debate aqui em Minas Gerais. A expectativa é boa? Está ansioso? Qual é a palavra do senhor? 
Estou naturalmente esperando, aguardando com muita serenidade, como o que disse há pouco sobre o debate em nível nacional, uma oportunidade muito boa para conhecer os candidatos. Temos boas propostas, boas idéias, então é um momento muito adequado para apresentarmos. Estarei lá, se Deus quiser, muito firme na quinta-feira à noite.
 
Só mais uma questão, governador. Como o senhor encarou a prisão do ex-diretor geral do IEF, Humberto Candeias, e outros ex-integrantes da cúpula do Instituto?
Na realidade trata-se de um processo que já vem de mais tempo atrás e o governo participou ativamente dessa operação, juntamente com o Ministério Público, no sentido de coibir. Todo tipo de desvio, de atitude ilícita, tem que ser coibida. Então sempre lamentamos que isso ocorra, mas não toleramos e não permitimos. Todo tipo de procedimento desta natureza em Minas Gerais será coibido, perseguido e punido da mesma forma.
  
Quando ele estava à frente do IEF o governo já tinha conhecimento então das supostas irregularidades?
Quando tivemos as primeiras notícias, digamos assim, quando veio através do Ministério Público uma primeira ponderação neste sentido, houve imediatamente o afastamento de todos aqueles citados e a colaboração plena do Governo porque, repito, não podemos jamais permitir no âmbito do Estado, da nossa administração pública, procedimentos desta natureza.
 
 
Fontes:

http://www.psdb-mg.org.br/paginas/index/chave/733
 
http://imprensasomosminasgerais.com.br/transcricao/entrevista-do-governador-antonio-anastasia-candidato-a-reeleicao-durante-encontro-com-diretoria-da-asseminas/
 

Notícias Relacionadas

TJMG dá Provimento a Ação Judicial proposta pelo Sinffaz

integrate

II Congresso da Intersindical

integrate

III CONSAT – Congresso dos Servidores da Administração Tributária de Minas Gerais

integrate