Sinfazfisco – MG
Arquivo

Aécio anuncia medidas tributárias e de crédito

Medidas buscam fortalecer a economia mineira frente aos efeitos da crise econômica mundial e preservar a execução orçamentária do Estado em 2009
 
O governador Aécio Neves anunciou nesta terça-feira (11/11), no Palácio da Liberdade, conjunto de medidas de flexibilização tributária e de aumento de crédito para o setor produtivo, que ajudarão empresas de vários setores a enfrentar os efeitos da crise econômica internacional. O pacote representa a injeção de R$ 1,3 bilhão na economia mineira. Na presença de empresários mineiros de diversos setores e líderes de entidades de classe, o governador também anunciou medidas que darão mais agilidade aos procedimentos fazendários do Estado.
“Depois de uma discussão profunda e interna do governo e através de entendimento e conversas com os representantes do setor privado, estamos anunciando um conjunto de medidas que busca minimizar os efeitos dessa crise na economia mineira. Essas medidas serão de alguma forma complementadas com a manutenção integral dos investimentos do Estado, previstos no orçamento de 2009, já em tramitação na Assembléia Legislativa”, afirmou Aécio Neves, em seu pronunciamento.
O Orçamento de 2009, encaminhado à Assembléia Legislativa de Minas Gerais, prevê investimentos do Estado da ordem de R$ 11 bilhões. “Num momento de crise, de dificuldades de setores da nossa economia, o papel do Estado torna-se extremamente relevante. E, diferente daquilo que vem ocorrendo em outros estados, em Minas estamos confiantes de que executaremos a integralidade dos investimentos previstos”, disse o governador.
 
Decretos
Ao todo, Aécio Neves assinou seis decretos, sendo três relacionados a medidas tributárias e três voltados à atividade de crédito. Também foram assinados dois convênios – um com a Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg) e outro com a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL-BH).
“As medidas tributárias e de aumento de crédito representam, juntas, cerca de R$ 1,3 bilhão de recursos injetados na economia mineira, para que ela continue crescendo. A palavra de ordem em Minas é continuar trabalhando com seriedade para que os efeitos da crise sejam minimizados, para que se mantenha o nível de emprego, o nível de renda e o crescimento da nossa economia”, disse o presidente do Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG), Paulo Paiva.
O Governo de Minas, por meio do BDMG, está ampliando limites de crédito em linhas operadas pelo banco, liberando mais recursos para os fundos já existentes, estabelecendo parcerias com organismos internacionais e entidades de classe do Estado, e adotando ações que facilitem o acesso aos financiamentos.
No tocante a medidas tributárias, ele anunciou a prorrogação do prazo para recolhimento do ICMS, ampliação das possibilidades para pagamento de débito de ICMS com crédito acumulado e o redesenho de processos para facilitar o atendimento aos usuários de serviços da Secretaria de Estado de Fazenda (SEF/MG).
Com a alteração e prorrogação, esses contribuintes poderão pagar o ICMS integralmente e sem acréscimo até o dia 26 do mesmo mês, ou parcelar, quitando 75% do imposto, sem acréscimo, até o dia 26 do mesmo mês, e os restantes 25%, corrigidos pela Selic, até o dia 26 do mês subseqüente. Já o  ICMS vencido em maio de 2009 poderá ser pago, sem acréscimo, até o dia 26 do referido mês, porém de forma integral. O ICMS proveniente de Substituição Tributária com data de vencimento nos meses de dezembro/2008 a maio/2009 poderá ser pago integralmente e sem acréscimo até o dia 26 do mesmo mês.
O Governo de Minas decidiu ainda ampliar as possibilidades de utilização ou transferência de crédito acumulado do ICMS para pagamento de débitos de ICMS. Atualmente a legislação permite a utilização com este objetivo apenas dos créditos acumulados em razão de exportação e diferimento. Com essa medida, qualquer crédito acumulado poderá ser transferido ou utilizado. É importante ressaltar que a quitação, com crédito acumulado, tem que ocorrer até 31 de março de 2009 e abrange crédito tributário de ICMS vencido até 31 de outubro de 2007 e formalizado  até 31 de dezembro de 2007. 
Outra decisão do Governo diz respeito à prorrogação para 31 de dezembro de 2009 de benefícios fiscais que vencem em 31 de dezembro deste ano. Com essa medida, o Governo de Minas continua garantindo às indústrias mineiras condições de competitividade com outras localizadas fora do Estado.
LegisFácil
Cumprindo a política de melhoria de atendimento ao público e ações previstas no projeto Descomplicar, a Secretaria de Estado de Fazenda (SEF/MG) coloca à disposição dos usuários de seus serviços o LegisFácil. Trata-se de uma ferramenta para  pesquisa integrada à Legislação Tributária de Minas Gerais e aos instrumentos normativos de Orientação Tributária. Esse serviço abrange as várias fontes normativas da legislação tributária mineira, incluindo leis e decretos estaduais, resoluções, instruções normativas, pareceres normativos, dentre outras situações.
Por meio da Internet, no site www.fazenda.mg.gov.br, contabilistas, contribuintes em geral, advogados e consultores tributários e também os servidores da SEF/MG, que desenvolvem atividades administrativas e fiscais, farão pesquisa de forma integrada, com a base de dados sendo atualizada em tempo real.
ECF simplificado
Ainda visando melhorar o atendimento a contabilistas, contribuintes em geral, advogados e consultores tributários, a SEF/MG decidiu simplificar os processos relativos à solicitação para uso do ECF (Emissor de Cupom Fiscal), eliminando burocracia e reduzindo custos.
 A partir de agora, o usuário fará apenas uma “comunicação”  à Fazenda Estadual sobre o uso do equipamento, sem a necessidade de um pedido formal. Esse procedimento elimina o prazo de análise prévia pela SEF/MG e reduz significativamente os documentos exigidos pela Administração Fazendária. Dessa forma, o contribuinte é liberado mais rápido para iniciar suas atividades. Além disso, os procedimentos de fiscalização serão definidos a posteriori, e os documentos serão arquivados pelo próprio contribuinte, estabelecendo um vínculo maior de confiança entre fisco e contribuinte.
Atendimento ampliado
Avançando em suas ações, a SEF/MG, em parceria com a Federação das Indústrias (Fiemg) e Câmara de Dirigentes Logistas (CDL/BH), vai instalar dois Núcleos de Atendimento Avançado (NAAV)
 
nessas entidades de classe, que agregam contribuintes dos segmentos industrial e comercial, ampliando os pontos de atendimento em Belo Horizonte, onde há maior demanda por serviços fazendários.
Nesses núcleos serão prestados serviços de Cadastro Sincronizado (Cadsin); transmissão eletrônica de declarações (DAPI); emissão de Certidão de Débitos Tributários (CDT); autorização para Impressão de Documentos Fiscais (AIDF); emissão de Documento de Arrecadação Estadual (DAE); implantação de parcelamento de débitos fiscais;  e esclarecimento de dúvidas sobre o pagamento de tributos estaduais.
 
CALENDÁRIO FISCAL AJUSTADO

Mês de vencimento original

Dez/08

Jan/09

Fev/09

Mar/09

Abr/09

Maio/09

Pagamento integral

26/12/08

26/01/09

26/02/09

26/03/09

26/04/09

26/05/09

Pagamento parcial (75%)

26/12/08

26/01/09

26/02/09

26/03/09

26/04/09

 

Pagamento parcial (25%) com SELIC

26/01/09

26/02/09

26/03/09

26/04/09

26/05/09

 
 
Medidas de crédito do BDMG
O Governo de Minas, por meio do Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG), ampliou limites de crédito em linhas operadas pela instituição, liberando mais recursos para os fundos já existentes, estabelecendo parcerias com organismos internacionais e entidades de classe do Estado, e adotando ações que facilitem o acesso aos financiamentos.
Micro e pequenas empresas
Estão sendo destinados R$ 20 milhões para o Fundo de Fomento e Desenvolvimento Socioeconômico do Estado de Minas Gerais (Fundese), com o objetivo de aumentar a oferta de crédito, por meio do BDMG, para micro, pequenas e médias empresas. O valor máximo de financiamento para capital de giro, pelo Programa Empresa Mineira Competitiva, no âmbito do Fundese, dobra de R$ 1 milhão para R$ 2 milhões, por empresa. A medida tem como objetivo contrapor as eventuais dificuldades de acesso a crédito que poderão ser enfrentadas pelas micro, pequenas e médias empresas, em conseqüência do atual cenário macroeconômico.
BDMG Equipamento
Com o objetivo de manter o nível de investimento da indústria mineira frente à escassez e demora de liberação de recursos do Finame (linha de crédito do BNDES), o Governo de Minas editou decreto que permitirá ao BDMG utilizar recursos próprios para financiar a aquisição de máquinas e equipamentos com custo final equivalente a TJLP + 3% ao ano. Serão destinados R$ 200 milhões a essa linha de financiamento.
O BDMG Equipamento destina-se a aquisições de máquinas e equipamentos novos e de importados, sem similar nacional, por empresas de grande porte. As demais empresas, incluindo as sediadas em estados limítrofes, poderão utilizar a linha de financiamento para aquisição de máquinas e equipamentos novos, desde que os produtos a serem adquiridos sejam produzidos em Minas Gerais.
Giro Fácil
Destinada ao financiamento de capital de giro para empresas de qualquer porte e setor de atividade, o BDMG Giro Fácil foi alterado, com a criação de nova modalidade em taxas pós-fixadas. Nesta modalidade, o valor máximo de cada operação está sendo ampliado de R$ 2 milhões (em condições anteriores, que era pré-fixado) para R$ 3 milhões, com prazo de pagamento de três anos. Esta linha tem R$ 25 milhões de limite para aplicação.
Fundo de investimento em empresas emergentes
O BDMG aprovou programa de investimento para atuar como cotista de fundos de investimento em participações e empresas emergentes, principalmente na área de inovação. O programa vai permitir o estabelecimento de parcerias com a Finep e o BNDES, buscando alavancar recursos para Minas Gerais. O limite previsto para esse programa é de R$ 10 milhões.
Cooperativas de crédito
Está sendo ampliado o programa com cooperativas de crédito vinculadas ao Sicoob Central Crediminas e ao Sicoob Central Cecremge, permitindo maior oferta de crédito para micro empreendimentos e pequenos produtores rurais. O limite máximo atual por cooperativa passa de R$ 2 milhões para R$ 4 milhões. O limite total para atuação com as cooperativas é de R$ 80 milhões.
Programa Mais Lojista
Em parceria com a CDL/BH, serão disponibilizados R$ 3 milhões em financiamento para investimentos voltados à gestão de micro e pequenos negócios varejistas, com o objetivo de melhorar o desempenho e reduzir o índice de mortalidade dessas empresas. As condições de pagamento são IPCA + 6% ao ano, com bônus por adimplência, prazo de até quatro anos, incluindo seis meses de carência.
Crédito via internet
Ampliação do crédito via internet, aumentando de R$ 2,4 milhões/ano para R$ 10,5 milhões/ano o limite do faturamento das empresas para que tenham acesso a essa linha.
Parcerias
Maior presença no interior, com o incremento de parcerias com entidades empresariais, como Cecremge, Crediminas, FCDL, Fecomércio, Fecon, Federaminas, Fiemg e Sebrae-MG, e de uma presença planejada de analistas do banco em cidades-pólo do Estado.
O BDMG assinará, nas próximas semanas, convênio com a agência de desenvolvimento do Canadá, Export Development Canadá – EDC, para disponibilizar linha de crédito de US$ 25 milhões. O objetivo é promover competitividade de empresas mineiras por meio do financiamento à importação de equipamentos e serviços correlatos de origem canadense e investimentos fixos e de capital de giro relacionados ao projeto.
O BDMG também está finalizando negociações com o Eximbank, dos Estados Unidos, para liberação de linha de garantia no valor de US$ 20 milhões. O objetivo é estimular a competitividade de empresas mineiras, por meio da utilização da garantia do Eximbank, para permitir o financiamento de importação de equipamentos e serviços originários daquele país.
 
Fonte: Assessoria de Comunicação Social/SEF
Disponível em: http://www.fazenda.mg.gov.br
Acesso em 18/11/2008

Notícias Relacionadas

Ouvidoria manda SEF apurar Assédio Moral em Uberlândia

integrate

SINFFAZ NA ALMG

integrate

Órgão público e funcionário respondem por ato ilícito

integrate