Sinfazfisco – MG
Arquivo

Reposicionamento – Errata

Prezados Colegas,
 
Nesta terça-feira, dia 29, o Sinffaz, na pessoa do Presidente Paulo César Marques, recebeu telefonema do Dr. Carlos Sicoli, quando este informou que houve um engano por parte do Presidente ao interpretar a conversa sobre o Reposicionamento, publicada em 28/06/2010 no sítio do sindicato, conforme colacionado abaixo:
 
“Dr. Carlos Sicoli confirmou que a Diretoria Geral do Planejamento de Carreiras é a responsável por tal política e que segundo a sua diretora, Luciana Meireles, já tinham conhecimento da distorção e estavam sensíveis ao problema e que o entendimento da Seplag, que deverá ser seguido por todas as SRH das Secretarias de Estado, é de que a progressão por mérito não deverá ser considerada como último posicionamento, ou seja, não será base para aplicar o reposicionamento”.
 
Segundo Dr. Sicoli, essa informação trata-se de sua opinião pessoal e não institucional. O Assessor informou ainda que a Seplag, juntamente com a Fazenda, está ciente do problema bem como de suas consequências e crê que tudo será solucionado.
 
Diante do exposto o problema não foi resolvido, assim sendo, o Sinffaz continuará a tratar este assunto com urgência, objetivando a solução definitiva.
 
O Sinffaz destaca que pauta suas ações pela honradez, verdade e respeito aos filiados e autoridades constituídas. Busca incessantemente as soluções dos problemas e o crescimento profissional através dos meios lícitos; é cuidadoso com o que publica, procurando sempre preservar os colaboradores e pede, aqui, desculpas publicamente ao Dr. Carlos Sicoli caso tenha, em algum momento, o colocado em situação difícil.
 
O Sindicato reafirma que continuará trabalhando firme até a solução definitiva, para que nenhum servidor seja prejudicado com o reposicionamento.
 
 
Paulo César Marques
Presidente do Sinffaz

Matéria publicada em 28/06/2010

Reposicionamento – Mais uma questão solucionada pelo Sinffaz
Prezados Colegas,

Caso a Superintendência de Recursos Humanos da SEF/MG – SRH entenda que o reposicionamento previsto no Decreto 45.274 de 30/12/2009 deva considerar como último posicionamento as progressões por mérito ocorridas entre 1994 e 2006, ainda na carreira antiga abrigada pela Lei 6762, os Gestores Fazendários e Auditores Fiscais que obtiveram o mérito terão prejuízos em relação aos demais colegas que não alcançaram tal mérito.  

Preocupados com este fato, alguns Gestores Fazendários consultaram, formalmente, a SRH sobre o seu entendimento e a mesma respondeu que será considerado a progressão por mérito.
 
O Sinffaz entende que a interpretação desta forma é equivocada, pois transformaria um prêmio obtido, a progressão por mérito, em castigo, penalidade, fazendo com que colegas não premiados com tal mérito, hoje, ficassem reposicionados à frente dos demais.
 
Inconformados com a demora da resposta da SEF/MG com uma possível solução para o problema e com receio de que se concretizasse a situação de injustiça  o Sindicato contatou, na última sexta-feira, dia 25, o Deputado Neider (PPS), que acionou o Dr. Carlos Sicoli, assessor da Seplag, a fim de resolver esta questão.
 
No mesmo dia o Deputado Neider recebeu a resposta do Assessor no sentido de que a Seplag iria orientar a Fazenda para que a progressão por mérito não fosse considerada.
 
Perguntado se poderíamos divulgar tal notícia o Deputado nos orientou, por segurança, contatar o Dr. Carlos Sicoli e fazer as perguntas diretamente a ele para que não houvesse divulgação equivocada.
 
Hoje, 28 de junho, Dr. Carlos Sicoli confirmou que a Diretoria Geral do Planejamento de Carreiras é a responsável por tal política e que segundo a sua diretora, Luciana Meireles, já tinham conhecimento da distorção e estavam sensíveis ao problema e que o entendimento da Seplag, que deverá ser seguido por todas as SRH das Secretarias de Estado, é de que a progressão por mérito não deverá ser considerada como último posicionamento, ou seja, não será base para aplicar o reposicionamento.
 
Sicoli afirmou ainda que se acontecer qualquer distorção, ou seja, se a reposição trouxer prejuízo a qualquer servidor, a Seplag resolverá pontualmente estes casos através da SRH de sua Secretaria.
 
O Sinffaz considera este caso resolvido para todos os colegas, incluídos aí Gestores e Auditores, que legalmente representa, e após as eleições o Sindicato dará continuidade às negociações com a Seplag. Compromisso este, assumido pela Secretária Renata Vilhena com o Deputado Neider, momento em que discutiremos a quantidade de níveis de nossa Tabela.
 
Paulo César Marques
Presidente do Sinffaz
 
 

 

Notícias Relacionadas

STF determina pagamento das perdas dos Servidores Públicos por conversão irregular da URV

integrate

Produtores de água mineral reivindicam incentivos fiscais

integrate

Receita não alcança o arrecadado em 2008

integrate